ETE para condomínios

Rate this post

ETE para condomínios

Cada vez mais as fossas sépticas vêm sendo abolidas para dar lugar a compactas estações de tratamento de esgoto, principalmente por sua eficiência, manutenção e mão de obra que ocorre de forma bastante barata.

Apesar do modelo antigo de tratamento ser uma boa opção oferecida pelo estado, a maioria dos estados brasileiros obrigam os condomínios que contarem com mais de seis casas possam ter suas próprias ETEs.

Com o passar do ano foi percebido uma insuficiência das fossas por moradores de alto padrão inclusive, e pouco a pouco muitos empreendimentos vem investindo em uma estação de tratamento de esgoto, liberando assim algo em torno de sete litros por segundo de esgoto tratado dependendo da região.

Como deve ser feito o projeto para as ETE para condomínios

Depois de muito tempo, com os moradores estudando diversos problemas e soluções possíveis, uma empresa poderá ser contratada para realizar um projeto com a devida previsão de custos. E assim que este projeto for aprovado, é possível captar os recursos para a sua construção.

O funcionamento da ETE para condomínios ocorre a seguinte forma, são construídas tubulações para a rede coletora que ligue todas as casas as estações de esgoto, além de dois sistemas elevatórios caso ocorram desníveis de terrenos.

Estas acabam engordando e indo ao fundo do recipiente, formando o lodo e fazendo toda a decomposição dos materiais orgânicos. Os próprios esgotos fazem com que as bactérias se proliferem e automaticamente é realizado o tratamento. Este é um ciclo que ocorre de forma constante, e existe uma previsão de que pelo menos mil quilos de lodo sejam devidamente tratados, e centrifugados todos os dias, resultando 300 quilos de massa levados para um aterro posteriormente.

Estas estações podem contar ainda com a chamada casa química, onde está instalado um painel de controle de todas as estações. No local deverá ser realizada a separação de lodo formado na água, e uma adição de hipoclorito de sódio. Depois disto o líquido deve passar ainda por um filtro e recebe uma maior oxigenação para ser lançado nos córregos e serem devidamente tratados por estações e tratamento de esgoto.

Related Posts

Tratamento de efluentes líquidos

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr WhatsApp Rate this post Tratamento de efluentes líquidos Saiba que…

ETE para residências

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr WhatsApp 5 (100%) 1 vote ETE para residências A ETE…

ETE para laticínios

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr WhatsApp Rate this post ETE para laticínios Saiba que a…

Escreva um comentário